30 Setembro 2014

Empate de goleada

Grande jogo, sublinho jogo, do FC Porto.  Falhas individuais não beliscam o colectivo. Uma superioridade técnica e táctica que me surpreendeu atendendo ao adversario e a rotação de jogadores. O melhor futebol da época ainda salvou o resultado e mesmo a liderança.  Superando asneiras ridiculas para sal ar a face e a ideia clara de jogo.
Não é festejar o empate mas celebrar algo mais além do resultado.
O BATE não é fraco e o Mari or também não.  O Chelsea nunca ganharia 5-0 com Mourinho e a CL é assim. O FC Porto é desta cepa maior.

29 Setembro 2014

Pinto da Costa decrépito (mas ainda acima do FC Porto) antecipou o dilúvio e as exéquias

Mais uma vez ridículo, mais uma vez defraudando, conformado, os adeptos portistas, mais uma vez patético, mais uma vez cadáver adiado. Como o chéché Mário Chulares, Pinto da Costa julga que tem algo de importante para dizer: a diferença é que parece divertir-se enquanto o portismo agonia em rebelião que custa silenciar. O velho Maro(s)cas anuncia o fim do mundo e preconiza a radicalização até com armas. Hoje em dia, como há tempos disse do professor sindicalista Mário Nogueira, precisamos de alguém capaz de pegar em armas. O que pode unir os dois dinossauros? Como diria o Bom Gigante, têm pombinhos para cuidar e a prole não se safou por si mesma...
Uma suposta entrevista, tudo gente de bem, de Pinto da Costa ao Torto Canal teve a expressão de um sussurro no deserto, em que nem camelos estavam. Na Imprensa generalizada online não vi referências especiais, no sábado à noite (desconheço a que horas foi o "entretien"). O Jogo fez capa com uma "boutade", meramente uma piada entre uma conversa de entreter, da treta. Se os roubos ao FC Porto começaram mais cedo esta época, o FC Porto continua a reagir atrasado. E sem chama. Pinto da Costa, decrépito, conseguiu chamar mais a atenção para o seu problema financeiro pessoal, para o qual estou a marimbar-me, sobre umas aplicações bolsistas. Entretanto, o radical de esquerda Pinto da Costa, como aqui já chamei uma vez a atenção sobre a "nacionalização dos bancos" que preconizou no JN, preferiu dar uma bicada no Governo, no PM e no PR por causa de ter sido "vigarizado" no BES: sofisma para o qual estou-me a cagar. Como bom comuna ou trólei da escardalhada doida e anacrónica, queria gozar os prazeres da Bolsa mas advoga que para casos do BES haja nacionalização - viva o PREC 40 anos depois do PREC. Um nojo! - mas para se perceber, ontem, a relevância da revelação e interesse pessoal, a TVI passou no seu telejornal da hora de almoço apenas essa parte da entrevista de Pinto da Costa, o golpe bolsista que saiu furado. Paciência.

O que diz tudo da irrelevância e desprezo que Pinto da Costa merece da generalidade da Imprensa. O JN, por exemplo, cujo ex-director passou para director da área de Mé(r)dia do FC Porto, no sábado à noite tinha apenas um link, no Desporto online a abrir com a vitória do Benfica sem alusão a erros de calabotagem, sobre uma bondade de Pinto da Costa sobre os "Fundos" que a FIFA quer proibir - e que eu acho muito bem ou que lhes imponha regras severas.
 
Os pacóvios portistas voltaram a esperar "um murro na mesa" e Pinto da Costa foi para amena conversa de tupperware com o anfitrião adequado: quase de pijama cavaqueando com o mordomo antes de fechar a luz. Dormir atribulado por verrinas e achaques contra arbitragens, Ligas e conluios que já não envolvem o "Sapo" mas diz-se que existem?... Nã, umas piadas sonsas sobre arbitragens das últimas jornadas e pouco mais. En passant, o ridículo do alegado penálti de Alvalade, mas não quem são os novos Luís Ferreira e Vasco Santos e quem foi, desde sempre, outro alentejano de gema como o Jacinto Paixão, no caso o Paulo Vigarista. Mas isto de falar de árbitros é uma condicionante, dirão uns grunhos do carvalho, enquanto a ideia de promoção de Bruno Caixão a internacional tem de ficar no baú mais fundo das gravações da internet... E o fecho do Pífio Dourado, nada, nada, nada? Triste abécula!
 
Aliás, quando escrevi isto depois de "pescar" aleatoriamente o que era respigado da "entrevista" na generalidade dos meios comunicacionais, nenhum blog portista tinha sequer pegado,  às 15h de ontem, nalguma deixa do presidente. Bem, verdade seja dita que alguém pegou num assunto, li pelas 16h e depois de ter escrito isto. Mas eu gosto pouco de quem dá uma no cravo e outra na ferradura. Mas, além do tema do accionista popular Pinto da Costa que pode ter desaires em Bolsa, as chamadas de atenção principais foram mesmo as do futuro do FC Porto. Sem o FC Porto estar precavido contra isso. De resto, a carneirada do costume foi tão soft, mais tarde, quanto o presidente, mesmo sendo sodomizados por não terem "o murro na mesa" que imploravam...
 
Das esparsas linhas de ideias veiculadas em links soltos, registei, de novo, que Pinto da Costa enxovalhou outro treinador do FC Porto: Vítor Pereira. Como fez antes com André Villas-Boas. Então, diz o graçolas do presidente em quem não se deve confiar, o VP é que pediu para sair por achar que os adeptos não gostavam dele? Logo a escolha interna do presidente que chegou a bicampeão pelo seu mérito e com plantéis inferiores não mereceu protecção presidentcial por causa de uns grunhos de adeptos portistas ou afins que não era suposto influenciarem o presidente?

Ou VP saiu, de modo brusco, porque a SAD é uma merda a defender o património desportivo alcançado e a defender os seus profissionais de futebol e os seus adeptos e sócios?
 
O pacóvio, e alcoviteiro, Pinto da Costa, meramente um cadáver adiado, mas já putrefacto, anuncia, ainda, o dilúvio depois dele?
 
Chico-esperto, como sempre foi, prepara já a dupla AG dos próximos dias. Aquela em que do lado da SAD se arremata a aquisição de metade do capital da sociedade que gere o Dragão, mas da AG do clube nada é suposto falar-se sobre esse aspecto, quando o estádio pertence ao clube?...
 
E os adeptos podem estar descansados que nenhum russo, ou ruço?, tomará o clube enquanto ele for vivo? Pois, ele é o dono disto tudo, apascenta o rebanho e os carneiros dizem méééé. Quando ele morrer será o dilúvio, certamente, e qualquer chinoca de Singapura virá pela mão de um encartado agente para comprar o FC Porto a patacos. Preparar a sucessão, está quieto, não sejas morcão... Nem filho nem delfim.
 
Pinto da Costa traiu, definitivamente, o FC Porto e quer o FC Porto enterrado com ele. Já não há dúvidas que o FC Porto morrerá com Pinto da Costa. O que virá depois, dilúvio ou até seca para extinção em massa do Dragão, ninguém sabe, nem ele. Os adeptos, que se amanhem! Mas deve temer-se o pior, porque o futuro não está salvaguardado, pelo menos até ele ir de vela...
 
Dilúvio de erros de arbitragem? Bem, não contem comigo para o "penálti de Alvalade". Como disse logo, não há penálti porque eu não gostaria que inventassem um penálti destes contra o FC Porto. E já defendi muitas vezes situações algo similares, contra o FC Porto (Alex Sandro, uma vez em Braga), em que não considerei penálti.
 
Antes há uma seca permanente de ideias, um rarear de momentos de exaltação clubística, uma extinção de motivações para não falar das memórias que restam de ironias mais convincentes e asserções mais contundentes.

A lição que ficou de Alvalade é que "Lopetegui é um chorão", Jesus dixit que nunca reclamou de arbitragens - e isto visto de fora. Lá dentro, do pouco que vi, em replay, das conferências de Imprensa, notei que Marco Silva recusa-se comentar a arbitragem, passando a bola ao presidente que dita as regras. Em tempos era Pinto da Costa, e antes dele Pedroto, quem ditava as regras. Agora, como já escrevi há dias e em tempos defendi com Vítor Pereira, Pinto da Costa deita-se com as regras, passa as 2ªs feiras a ronronar e às vezes semanas inteiras sem chocalhar as vacas prontas a investir mas desistindo por falta de comparência do presidente.
 
A irrelevância que Pinto da Costa mereceu, inclusive de portistas, diz bem do estado cadavérico do faraó que ficou a contemplar as pirâmides erguidas mas tratou de inaugurar o Museu para as velharias e rodear-se de acólitos que lhe levem oferendas ao túmulo no centro de uma galáxia de pechisbeques. 
 
A Mé(r)dia do FC Porto produz isto. O que vale é que poucos lhe ligam. Os portistas tiveram vergonha de pegar no assunto nas 24 horas seguintes. Exaustos de serem gamados, exangues de não serem defendidos, vão-se desligando, à espera já do dilúvio ou meramente de uma seca que os torre a todos como aos dinossauros.
 
Mas este cenário apocalíptico era previsto, pelo menos aqui. E a "boa nova" que uns parolos crentes, à maneira católica mas pouco praticante, esperavam foi mais uma punhalada no coração.

28 Setembro 2014

O que identifica vermelhos da política e do futebol?

Isto.

Vai-se, enfim, o Tozero e resta o ponto escuro de interrogação do modelo sistémico.

Na política como na bola.


Dados atualizados às 21h43: 65.303 inscritos. Isto dos 250 mil inscritos é como a representatividade dos "6 milhões"...

Nos 40 anos do início do PREC as prendas fraudulentas que a Democracia deixou até hoje

 
 
Hoje, 40 anos depois, temos a tralha socialista a querer voltar ao poder interno subindo às costas do chico-esperto que contornou regras e simula actos aparentemente democráticospara querer apagar o fascismo opressivo - a "claustrofobia democrática" já foi neste século, ainda que na década passada em que se reelegeu um inelegível - do PS, o Partido Súcia que se posicionou para dominar esta merda toda, na verdade o dono disto tudo.
 
E temos mais uma vitória fraudulenta do Benfica, no Estoril, mas podia ter sido no Algarve, com um penálti negado ao adversário e uma expulsão amanhada pelo Enzo Perez que nunca é expulso mas só porque parolos deslumbrados como Vasco Santos e Luís Ferreira permitem que seja assim.
 
A cor vermelha domina as duas fraudes que o 25 de Abril não apagou para sempre, antes cavalgou a onda dos amanhãs que cantam.
 
Sempre disse isto e a realidade confirma todas as semanas quem são os donos disto tudo.
 
Os comunas, entretanto, vão conduzindo as greves do costume, os boicotes da ordem e as parlapatices da praxe.
 
É a herança de Salazar: pobres e benfiquistas. Os pobres confiam que o PS lhes dê grandeza; os benfiquistas limitam-se a não dizer nada de arbitragens. Como confessou Coluna, naqueles tempos, e nos actuais também, o Benfica não tinha, nem tem "constrangimentos com as arbitragens".

26 Setembro 2014

Não diverte, foi um nojo

O inenarrável Lobo achou uma 1ª parte estupenda e só uma equipa jogou, o Sporting trapalhão e sôfrego sem qualidade, o FC Porto abúlico e idiota, com vergonha de si próprio; no final, um grande jogo e nenhuma equipa soube ganhar. Tal como na época passada, duas equipas fracas, futebol frouxo ou mal ligado, repelões a mais num lado, tropeções e soluços a mais no outro. No Porto-Sporting de há um ano, apesar do 3-1, escrevi que as duas equipas não jogavam nada. Futebol primitivo, ou timorato como o do Porto, ou enganador, pura ilusão o do Sporting. Ou as equipas melhoram muito, especialmente o FC Porto actual, ou a classificação tenderá a repetir-se. Assim, o Benfica acaba campeão de novo, com facilidade, mesmo com menos jogadores de craveira mas mais noção de realismo competitivo que o Sporting poderá igualar para ficar à frente do romantismo portista. E o FC Porto, apesar de lacunas evidentes no meio-campo e ainda sem acertar a composição melhor no sector, agora não pode queixar-se da qualidade do plantel, o treinador é que pode não aproveitá-la e tornar-se um Produções Fictícias.

Foi o pior jogo do FC Porto esta época e na última imagem que fica quase ganhava em Alvalade. Não merecia perder, foi muito melhor na 2ª parte e teve mais bola e ocasiões, mas, pela primeira vez, não merecia ganhar. Arriscou-se até a perder com uma equipa inferior, tal como na época passada, um Sporting mais pragmático do que vistoso. Tello, como frente ao Boavista, falhou um golo certo. Foram 4 pontos ao ar numa semana. Se fosse realmente muito bom teria futuro no Barcelona. Lá nunca lhe vi grande futuro. Cá vai custar a engrenar, se pegar.  Lopetegui tarda em solucionar o meio-campo e, nos jogos de maior pressão, parece ter medo de jogar aberto para aproveitar o potencial dos jogadores. Espero tenha sido a última vez que juntou R. Neves, Herrera e Casemiro no meio do campo. Três juntos que não fazem um Fernando. Se Hulk ainda fosse do FC Porto tinha ganho o jogo sozinho. Quaresma não tem mentalidade para estes jogos. Os laterais estão a fracassar, a defender, a passar, a atacar, tal como na época passada. Lopetegui tem de se libertar de amarras.
Libertou-se com Oliver e Tello. O jogo mudou. Oliver é um portento. Tello sabe-se lá quando se torna grande. Jackson parece um desajeitado em certos jogos. A lesão de Casemiro, entrando Reyes para trinco para remediar mas acentuando a falta de qualidade na posição em que o plantel é carente, tirou a possibilidade de trocar Jackson por Aboubakar. Jackson voltou a falhar isolado. Aboubakar é mais guerreiro, mais rápido, mais acutilante, poderia causar mais mossa. Já não dava, mas deu para perceber que meia equipa podia ser facilmente mudada que a coisa não iria para pior. Meia equipa portista, tal como na época passada, não faz um passe de jeito e começa tudo atrás. Os dois centrais esquerdinos não ajudaram. Maicon, ausente por castigo, tem uma responsabilidade enorme!
Este é dos jogos que enervam de tão mal jogados. O Lobo pode fazer de uma merda uma estátua ao seu gosto ou vice-versa, de uma estátua inexpressiva uma merda poética ou apenas salivar com uma ejaculação precoce e doentia. Mas nada disfarça a má qualidade quando a bola atrapalha.
Também quando Marco Silva meteu Capel e Mané o Sporting melhorou. Aí o FC Porto, sempre em défice no miolo, apesar do número de unidades que não impediram perda de bola estúpida no 1-0, fazendo lembrar o 1-0 na Luz em Janeiro para a Liga, tremeu. Foram 4 remates - QUATRO - seguidos de fora da área sem oposição, um deles fez tremer a trave de Fabiano. Nem jogador algum, nem treinador viram o buraco que Marco Silva viu. Porque Marco Silva conhece os jogadores que tem e os adversários, conhece o nosso campeonato que é muito difícil para quem vem de fora. Lopetegui tem a última oportunidade de melhorar. Ou vai acabar em 3º, desbaratando uma equipa com potencial ofensivo enorme, como se viu na 2ª parte.
Isto devia preocupar todos, mas parece apenas acicatar uns ânimos tontos em defesa ou em torno dos respectivos presidentes. O Sporting joga à grunho do carvalho, bronco, aos empurrões mas com a vantagem de lhe bastar um reforço de peso, Nani, para dar outro ar aquela tropa fandanga; o FC Porto juntou bons jogadores mas tarda em meter os melhores, parece decrépito, desconfiado, acossado, temeroso, inerte, tiro ao alvo mediático e no campo. Já na época passada foi assim, à imagem da SAD que come e cala, do clube que não se impõe, da gestão que navega à vista e não dá nem conta de si nem presta contas e satisfações a associados. Ah, vai haver uma assembleia para os totós do costume com as conclusões esperadas. Aplaudam sentados e vão ver de novo o infausto 2013-2014.
Para comprovar isto, uma dupla prova para Sporting em casa com o Chelsea e o FC Porto fora com o Shakhtar. A ver se muda alguma coisa ou se confirma a falta de pulso, de nervo, de categoria, de futebol.
Apesar de faltas, várias e inusitadas, marcadas a Jackson, mesmo em ombro a ombro, Benquerença e os auxiliares foram a melhor equipa em campo. Diz muito do que valeram Sporting e Porto. E não há penáltis a reclamar. Faltou um amarelo ou outro, como a Mané no fim contra Fabiano, mas não foi o gonzo Enzo contra um do Moreirense. Era só amarelo. Como os sorrisos que devem ter as duas equipas. Se Benquerença foi o melhor, está tudo dito. E isso também é preocupante.

Clássico importa ou só diverte?

Mais uma vez, as vésperas e as víboras dos clássicos vieram à tona no chiqueiro lisbonense. No FC Porto, no Porto, na bluegosfera, pouca preocupação, é mais um jogo, mais um para tentar ganhar, mais uma etapa do calendário. Contudo, como já enfatizei, a visita a Alvalade costuma ser mais problemática do que na Luz. Ou porque o FC Porto há muito olha para o Benfica pelo menos a um nível, digamos, de igual para igual, se não mesmo superior; ou porque o Sporting, há muito ultrapassado pelo FC Porto, quer mostrar estar ao nível de um adversário superior. Normalmente, é isso que tem acontecido.
 
Em Lisboa a coisa fia mais fino. Para ajudar ao andor, a Imprensa: logo alertaram para o terreno minado em volta do Campo Grande. Que isto, que aquilo, o Sporting até sabe que se ganhar ultrapassa o FC Porto na tabela, contou o Carlinhos da Sé num solilóquio corriqueiro lá do alto do monte das pouco virgens versões e narrativas jornalísticas enfezadas, isto é, não com fé, mas cheias de fezes.
 
Entretanto, a lagartagem vai dando conta de o FC Porto não querer dar a mão a miúdos. Percebe-se, o Sporting tem a palma, a oliveira e o discurso laudatório de apostar na juventude, ter a equipa mais jovem, a Academia e por aí fora.
 
É verdade que, pelo segundo ano consecutivo, ou por já nem ser notícia para um relapso, a UEFA abriu um expediente por causa do fair-play leonino, desta feita nas finanças. O que surpreende, pois era suposto o grunho do carvalho já ter superavit nas contas. Mas isto é uma chatice que não preocupa nem merece retórica.
 
Da mesma forma que ainda batem no ceguinho Pífio Final que já foi dourado mas esmoreceu, desmaiou e tornou-se diáfano que nem se vê, também esquecem que há uma pendência sobre um dirigente que depositou dinheiro na conta de um árbitro. E não foi, o dirigente, do FC Porto. Se fosse, implicaria o FC Porto. Como PPC, que não é sigla de Palhaço Pinto da Costa, era dirigente do Sporting, com uma última incumbência de pintar postes em Alvalade depois de andar a espiolhar a vida íntima dos jogadores leoninos, parece que não implica o Sporting.
 
Abençoada presunção e água benta que de tantos males internos trata, concentrando energias na "destabilização" do FC Porto, que bem tentam. Até se queixam do Benquerença, aquele que lhes garantiu uma Taça de Portugal em 2008 ao poupar o caceteiro Grimi a expulsão por entradas sobre Quaresma em tudo iguais à que não poupou Maicon no domingo. Mas as cacetadas do Sporting são legítimas e não violentas, as do FC Porto levam a raiva do diabo nem que não seja de Gaia.
 
Imaginem o que o FC Porto não poderia dizer de Benquerença, aquele árbitro nomeado para o último clássico, aliás os dois últimos, que em Março ou Abril disse que lhe doía as costas e foi substituído pelo impoluto Proença. O que fez Proença? Não foi um "Brutus" traidor, porque deixou um penálti sobre Jackson por marcar (e expulsão de Cédric) em cima do intervalo e porque o golo de Slimani foi precedido de evidente fora-de-jogo. Mas os fora-de-jogo normalmente correm bem aos de Lisboa, o FC Porto também tem razões de queixa disso mas quem ouvir a laia lisbonense não dá conta disso.
 
O mesmo Benquerença que na Taça da treta, em Dezembro, expulsou o portista Carlos Eduardo sabe-se lá porquê, embora a culpa portista seja sempre óbvia só por ser portistas, veja-se a "confissão" de Jacinto Paixão que se denunciou com um vídeo promocional - sabendo-se que a autodenúncia de um crime não implica o autor do mesmo e não é considerado como prova porque ninguém se acusa a si mesmo e por livre vontade - em que a chatice é contradizer o que tinha sido carreado nos autos do FC Porto-E. Amadora que deu origem a uma acusação sem fundamento repetidamente desmontada e arrasadas em todas as instâncias fora da alçada da prolixa justiça dita desportiva. Mas até a isso os desesperados se agarram e convencem os meninos, aqueles 22 que devem equipar todos à Sporting como se os benfiquistas uma vez não tivessem tentado fazer o mesmo para ficarem remetidos ao túnel sempre pouco aconselhável na Luz.
 
E pronto, dormiram tranquilos, embora o jogo decerto vá trazer novidades. Mas do jogo ninguém falou, mais uma vez: foram os árbitros, o resultado conveniente só para uma equipa, os meninos, o historial e muita nobreza e carácter. Ainda bem que não há um presidente a prometer uma recepção com Chaimites (Dias da Cunha, em 2003), adeptos no varandim sobranceiro à 10A a cuspir, atirar pedras e caírem (morrendo dois!) ou árbitros associados ao FC Porto.

De qualquer modo, como na última época, o FC Porto encara o jogo na desportiva, sem pressão acrescentada, enquanto em Lisboa é de faca e alguidar. Há grunhos portistas que se queixam, mas continuam a não exigir nada do Torto Canal. Afinal, somos mui nobres, leais e invictos, mas alguma moleza tirou o tesão todo. E isso é um problema. Por exemplo, na última vitória em Alvalade, por 2-1, além de mais um penálti inventado pelo Lucílio Vigarista, entre os golos de Lisandro e Bruno Alves, Pinto da Costa arrefeceu a coisa dizendo que era "uma vitória normal". Eu lembro, porque critiquei tal amesquinhamento de uma vitória grande - a seguir a uma dramática e inesquecível em Kiev -, que foi menorizada como nunca pelo presidente. Pois, depois queixam-se da garra dos outros e do que fazem trinta por uma linha. Ou o futebol não tem dois lados?

25 Setembro 2014

Paulo Bento mentiroso e FPF... também!

Além de incompetente e mau-carácter, raivoso e vingativo como treinador, o ex-seleccionador foi contestado na sua narrativa quanto à saída, pelo que revelou na entrevista da semana passada. Nenhum jornalista de jeito dirá que mentiu, mas foi o que se depreendeu da revelação de Fernando Gomes, ontem, na apresentação de Fernando Santos.
Não é propriamente uma novidade face ao perfil truculento de Paulo Bento, absolutamente inadequado para o cargo. Mas ficou patente a contradição entre o que disse, ou não disse, de si, e o que disse da forma como era visto na Direcção da FPF e em particular de Fernando Gomes.
O que também nada invalida, já que até a continuidade de Paulo Bento foi avaliada colegialmente após o absoluto fracasso do Brasil, que a Direcção federativa se confirmou como incompetente e devia ser igualmente demitida. Porque não avaliar o sucedido no Brasil, arranjando um pobre bode expiatório, reforçando os poderes do então seleccionador, e estando dependente não da avaliação directiva mas dos humores de Paulo Bento, desqualificam qualquer órgão que se considerasse idóneo e competente.
Convém lembrar que Paulo Bento desafogou as suas mágoas nesse antro do amiguismo serôdio que é a RTP da bola indígena. À semelhança do ex-Primeiro-Sinistro, dali coisa boa, séria e aceitável não poderia vir. Diz bem a letra com a careta.
É, por isso, uma vergonha toda esta ópera bufa em volta da Selecção. Fernando Santos é apenas mais um a "queimar" eventualmente, mas ele vai todo contente e garante a presença em França-2016. Sendo, naturalmente, um nome consensual e até simpático, não era difícil vaticinar a nomeação, mesmo com o problema da suspensão, por fim confirmada, de 8 jogos.
Além de ridícula e incompetente, a FPF conseguiu um registo histórico de ter um treinador inelegível para o banco. Mas, apesar de ser bizarro, o BT, maior diário dinamarquês, não deu uma linha do assunto. A Dinamarca tem Morten Olsen há quase 150 jogos...
Mas, independentemente de considerar FS o homem certo neste momento, e seguro de que não fará birras nem "apartará" jogadores, o wishful thinking já se levantou em massa nos louvaminheiros do costume. Vamos lá a França e seremos os maiores outra vez.
Afinal, importa a qualificação e a renovação, depois vê-se. O "projecto" já esta desaparecido numa gaveta. A FPF vive obcecada com dinheiro, com a estruturação do futebol. Daqui por uns anos andará muito parlador a dizer o óbvio e a eaquecer o essencial. Tem sido assim. Daí o grande plano passar para 12º plano. É mais incompetência, na urgência federativa de arranjar alguém que traga resultados e com eles o dinheiro: desenvolvimento do futebol jovem, zero! Ou seja, a FPF também mente. Pudera!...
Os louvaminheiros do andor anterior, alguns deles, nem conseguiram dar a notícia da nomeação anunciada. É que há quem faça melhores broches para ter as babetes noticiosas mais importantes. E a verdade é que os que agora foram também "traídos" esforçar-se-ão para melhorar os próximos fellatios, não para conseguirem ser melhores jornalistas e dar informação mais isenta e profissional e não espalhar simpatias e hossanas pelas alminhas da querida Selecção de todos aqueles que dizem amén.
Daí que, da peripécia de ontem, eu ressalte a confirmação oficial de Paulo Bento ser apelidado de mentiroso. Um belo epitáfio, sem dúvida. 

24 Setembro 2014

Vítor Baía vai ter uma audiência alargada

Deviam obrigar jornaleiros a lerem o infame acórdão da Bosta da Liga

Mais uma pedra na sepultura do Pífio Dourado. Uma monstruosidade maquiavélica em conluio com a Imprensa do regime que se escusou ler o infame acórdão do FC Porto-E. Amadora. Aos Carlinhos da Sé e lampeiros entrevistadores do Bosta da Liga, aos cronistas de esterco em livros sobre o tema, aos jornaleiros em geral devia ser imposto a leitura do uma peça jurídica nojenta e sem sustentação. Não era preciso invocar escutas ilegais ou até confirmar, posteriormente, que "Carolina mentiu", quando foi liminarmente confrontada com as suas invenções e deturpações deliberadas. Bastava ter lido um escarro jurídico, liminar e sucessivamente destratado em sede própria. Tribunais sucessivos a desmascararem a farsa alegadamente de Direito transcrita de forma ignóbil com testemunhos nada convincentes. Uma farsa que ao tempo desmontei nos seus aspectos essenciais quanto a provas apresentadas e interpretação delas feitas. Algo que republiquei passados 5 anos sobre as pífias sentenças "desportivas". E que reponho, agora que foi colocada a lápide sem o sacro R.I.P., para se ler como deve ser lido. O que está baixo é a minha leitura, mas cada um pode fazer a sua mediante o que foi carreado como provas e delirantemente dado como provado. Resumi os factos essenciais extraídos do acórdão. Em vez de se esmiuçar que crimes escondem umas gravações áudio, deviam interpretar como foi erguida a dita credível "justiça desportiva". 
 Os vermes da CD da Liga ao tempo - e cuja denúncia depois levou à resignação do tasqueiro Hermínio, com vergonha mas sem peso na consciência de serrim - conseguiram fazer publicar isto sem ninguém dar-se ao trabalho de ler a pífia sustentação das provas e a insidiosa atribuição de culpas. Sobre o que foi dito, entretanto, posso lembrar que o comentadeiro Seara achou "notável" a peça jurídica, sem a ter lido certamente, o mesmo Seara que o FC Porto, há poucos meses, apoiava para presidente da Liga. É só fazer as contas, mas como nunca fiz isto em defesa de quem quer que fosse, evoco este pequeno e trivial pormenor dos altos e baixos das coisas da bola e dos "homens do futebol". O Bosta da Liga continua a derramar o talento de merda em pasquins de sarjeta e folhas de propaganda. Todas as instâncias, sem excepção, dentro e fora do "edifício desportivo", vulgarizaram as "descobertas" e ridicularizaram - nomeadamente a corajosa e diligente investigação de um juiz que descobriu a "cona careca da Carolina" - não só um PGR sonso e Monteiro que lia literatura de cordel, como a "Operação Espacial" da afamada Justiceira à zorro do Povo, camarada Mizé Mao Tsé Morgado, mais as "testemunhas acusatórias", incluindo os mé(r)dia. Estes, amplificadores da desgraça e patrocinadores do apocalipse, também incluíram, à data, um tal Rui Cerqueira, hoje director de Comunicação do FC Porto, então apresentador de Telejornal no Monte da Virgem a amplificar, sensacionalmente, todas as "notícias" do Correio da Manhã sobre o assunto.
Portanto, as pessoas devem ver todo o quadro, todos os meandros, toda a porca miséria humana que este caso, tão simples e tão frouxo, trouxe à tona. Eu, como sempre, não poupo quem quer que seja. Temo apenas, e mesmo por alguns episódios da justiça comum e amiúde mesmo ordinária, ficar um dia sob alçada de certos juristas e certos juízes, nesta República bafienta em que poucos, raros, respiram acima da superfície da sujeira democrática e de um apregoado Estado de Direito.

Como a CD da Liga viu o FC Porto-E. Amadora

Isto só lido, porque ninguém acredita. Não sei se algum jornal deu-se ao trabalho - diria à coragem que os plumitivos do regime atribuíram à CD da Liga - de publicar as partes significativas do acórdão sobre o FC Porto-E. Amadora que foi tido, de início, como o jogo de toda a corrupção, apesar de não ter registados erros de arbitragem graves ou sequer com influência no resultado, mas continua a não haver ligação factual directa e objectiva ao eventual aliciamento do FC Porto para com Jacinto Paixão e seus auxiliares. Muitos não se dão à maçada de ler o acórdão. Experimentei. Não vale a pena perder tempo. É de vómitos.
Esta peça jurídica, que alguém apelidou de “notável”, decerto sem querer ironizar, demonstra como, à falta de leis que pudessem penalizar seriamente o FC Porto, tentou-se, em vão, encontrar-se factos que minimamente se adequassem às regras vigentes de modo a, pelo menos, encostar o FC Porto às cordas.
Da “coragem” da CD da Liga para publicar uma coisa destas no site da LPFP estou avisado. A mim desarmou-me: já nem vou ler o caso do FC Porto-Beira-Mar.
Sempre ignorado o Gondomar, que não interessa, o Porto-Amadora teria de ser o paradigma da corrupção. Pois bem, o novelo está todo desfeito, caídas as máscaras dos protagonistas desta farsa ignominiosa, percebe-se, com clareza e objectividade, que Maria José Morgado forçou a nota ao pronunciar Pinto da Costa e o FC Porto (ida a julgamento) sem a convicção que achava sustentar a acusação.
Prevenir e aliviar coisas salgadas…
Como é melhor prevenir que remediar, não vá algum tribunal isento inocentar os arguidos, nada como despachar já umas sentenças avulso na justiça dita desportiva.
Do facto, não despiciendo, resulta até a escapatória de Carolina Salgado ao crivo das mentiras, como a CD da Liga reconhece: se ela, até ver, não foi apanhada a mentir em tribunal (é uma forma de ver as coisas, mas pronto), a CD da Liga acha que não pode colocar-se em causa a sua credibilidade. Ricardo Costa, claramente, não tem “razão de ciência”…
Mesmo que a ex-alternadeira, de repente escritora mas já bem definida como cientista pela sua “razão de ciência”, não credível no caso Bexiga, com dois livros escritos e só um publicado com a versão conveniente, aquela que sabia receber muitos árbitros em casa, só lembrou Augusto Duarte e Martins dos Santos mas apenas o primeiro lá passou para tomar café e chocolates, nunca tenha sido apanhada em contradição. Esta coisa está prenhe de mentiras, resta saber se foi por trás, à canzana, ou de barriga para o ar na posição de frango assado.
Vamos ao acórdão. Ponto prévio: recorde-se que o Apito Dourado, versão Gondomar, rebentou em Abril de 2004, e nos meses seguintes seguiram-se interrogatórios às detenções. É natural que, mesmo sem haver diferenças substanciais, alguns arguidos não confirmem certos pormenores no inquérito disciplinar que a CD da Liga começou por 2007, três anos depois dos factos e das inquirições judiciais. Há, portanto, declarações em sede judicial (PJ) e em sede disciplinar (Liga).
Então é assim que está transcrito no acórdão publicado no site da Liga (139 pgs.):
Antes do jogo
[CD elenca os factos, partindo das escutas telefónicas de cujo teor já se sabe mas nunca têm Pinto da Costa a pedir favor algum em contacto com árbitros ou a conceder favor a alguém, parêntesis rectos indicam textualmente o que a CD escreveu]
ponto 29. Pinto da Costa questionou António Araújo sobre a identidade de quem tinha pedido a “fruta”.
30. António Araújo em código esclareceu que “a fruta”, o “rebuçado”, era para o “homem que vai ter consigo de tarde”, o “JP”, isto é Jacinto Paixão [acha a CD]
(a peritagem de ex-árbitros ao jogo, parêntesis curvos são introduções minhas para abreviar e contextualizar)
50. Dois erros foram cometidos em desfavor do Estrela da Amadora
51. Os restantes quatro erros foram cometidos em prejuízo do FC Porto-SAD
(depoimento de Carolina, não à CD mas ao tribunal)
68. Durante o jogo, Jorge Nuno Pinto da Costa comentou com Carolina Salgado que António Araújo estava a tratar de arranjar umas meninas para a equipa de arbitragem.
(Uma ‘ideia’ da CD que nunca aparece transcrita, é uma interpretação rasteira da CD)
98. JNPC anuiu que António Araújo, em nome daquela sociedade desportiva, disponibilizasse e pagasse serviços sexuais das prostitutas aos árbitros como forma de solicitação e obtenção de actuação parcial por parte daqueles árbitros no jogo com o Estrela da Amadora ou em jogos futuros a disputar pelo FC Porto-SAD.
(não parece um facto decorrente do que se apurou, mas adiante…)
(Na CD da Liga, entretanto, a Carolina não apareceu e os árbitros falaram no inquérito disciplinar).
[CD] … Solicitou-se também a presença da Sra. Carolina Sofia Ribeiro Salgado na CD para prestação de declarações. Apesar da convocação, tal inquirição não foi efectuada em virtude da não comparência da testemunha.
Manuel António Candeias Quadrado explicou que (…) “Jacinto Paixão depois lhes transmitiu que um amigo do Lameiras, que não identificou (…) arranjaria as ditas “meninas”.
José Carlos Gladim Chilrito disse o mesmo.
Jacinto dos Santos Silva Paixão acrescentou que “em momento algum Luís Lameira lhe disse quem era o amigo que arranjaria ao depoente e aos seus colegas (…) as “meninas”, nem tão-pouco que esse tal amigo estava ligado ao futebol ou ao FC Porto. Na altura, Luís Lameira não referiu sequer o nome do tal amigo”.
Salientou ainda que “nunca antes tinha ouvido falar de que o FC Porto pudesse oferecer prostitutas a árbitros. (…) Só no procedimento judicial soube de Araújo e a sua ligação ao futebol e ao FC Porto”.
No processo judicial, Jacinto Paixão declarou… “Ele [Luís Lameira] disse que conhecia um indivíduo de nome Araújo e a quem formularia esse pedido… Nunca antes tinha ouvido falar deste tal Araújo”.
Interrogado judicialmente, Luís Miguel das Neves Lameira afiançou… “Também conhece um indivíduo de nome Araújo que é empresário de jogadores de futebol”.
Interrogado [judicialmente], António Fernando Peixoto Araújo“Não conhecia pessoalmente Jacinto Paixão e quem lhe ligou a pedir umas amigas para este e a equipa de arbitragem dele, três, foi Luís Lameira”.
Jorge Nuno de Lima Pinto da Costa, interrogado judicialmente… “o FC Porto devia ao arguido António Araújo cerca de 130 mil dólares… Araújo tem um vocabulário abrasileirado… passa tempo no Brasil… utilizando o termo “fruta” para significar dinheiro”.
Quando lhe foi referida a sigla “JP pensou que se tratava de Joaquim Pinheiro… e as companhias seriam para este Joaquim Pinheiro… é casado e tem filhos… sendo que achava que estava sob escuta… corria no mundo futebolístico que ele [Jacinto Paixão] seria homossexual”.
No inquérito disciplinar, JNPC afirmou não pretender prestar quaisquer declarações.
(Adianta, ainda, a CD da Liga o depoimento de Carolina Sofia Salgado Ribeiro, trocando os nomes finais, no processo judicial (PJ) de que já se sabe ter a afamada “razão de ciência”)
E adianta-se a douta CD da Liga:
CONSIDERANDO ASSIM OS DEPOIMENTOS PRESTADOS E OS CONTACTOS TELEFÓNICOS REPRODUZIDOS, QUE SÃO PRECISOS, CLAROS E CATEGÓRICOS, JULGAMOS PROVADOS OS FACTOS, PASSO A PASSO, EVIDENCIADOS.
(maiúsculas minhas, como serão sempre as considerações subjectivas da CD da Liga)
Durante o jogo
“Não há dados que permitam concluir que o jogo decorreu em condições anormais devido a eventual acção ilícita e dolosa da equipa de arbitragem destinada a beneficiar o FC Porto-SAD… entendemos que os dois erros que beneficiaram o FC Porto não podem ser considerados intencionais”.
Em sede disciplinar.
Após o jogo Manuel Quadrado“Reinaldo Teles falou com Jacinto Paixão por serem conhecidos há muitos anos e convidou a equipa de arbitragem para jantar. (…) Não associaram as meninas nem o amigo de Lameira ao FC Porto. Jacinto Paixão falou a Lameira e este disse ao Jacinto Paixão que ‘estava a dever-lhe uma e que depois pagava’. Achou depois que poderiam ter sido oferta do FC Porto… numa situação que poderia estar ligada ao FC Porto”.

“Foi o primeiro (e único) jogo em que arbitrou o FC Porto”.
“Não sabe porém se Jacinto Paixão conhecia António Araújo”.
Em sede judicial, Manuel Quadrado … “ficou convencido que tal jantar tivesse sido pago por alguém relacionado com o FC Porto. (As meninas) Não lhe passou pela cabeça que se tratasse de uma oferta do FCP”.
Manuel Quadrado, em segundo interrogatório judicial, … “pensa que o pagamento às prostitutas tinha sido feito por alguém ligado ao FC Porto e provavelmente o referido António Araújo… que não chegou a conhecer senão à data em que foi detido”.
José Chilrito“Reinaldo Teles ouviu-nos a questionar sobre um sítio para jantar e disse que se quisessem levava-os a jantar a um restaurante onde estaria também a jantar o sr. (António) Garrido e uma outra equipa de arbitragem”.
JNPC “já estava a jantar no restaurante quando o depoente entrou, numa mesa à entrada, tendo saído dez minutos depois, sensivelmente… Passou pela mesa, cumprimentou os presentes e saiu, não se tendo sentado à mesa nem permanecido à conversa”.
(meninas no hotel) “Pensou que pudesse ser devido aos conhecimentos do Lameira”.

“Apenas quando foi detido (pela PJ) e informado dos factos e das escutas é que começou a associar os factos e começou a achar que as meninas poderiam ter sido oferta do FCP”
Jacinto Paixão“tentou pagar o jantar e das ‘meninas’ “acreditou que se tratava da oferta de um amigo de um amigo e que apenas quando foi detido é que soube quem é que era o amigo de Luís Lameira, o respectivo nome e a relação que poderia existir entre este agente e o FCP”.
Interrogado judicialmente e inquirido em sede disciplinar, Reinaldo Teles afirmou não pretender prestar declarações.
Carolina Salgado, judicialmente, do restaurante “A marisqueira de Matosinhos” “conhece pelo nome do seu dono, que se chama Miguel… Não identificou os árbitros com quem estava Jacinto Paixão, só Chilrito… não tendo a certeza quanto a outros árbitros que lá pudessem estar”.
“Não viu PC ou RT ou qualquer outro elemento ligado à direcção do FCP proceder ao pagamento de quaisquer outras refeições nesse dia. Pinto da Costa pagou o seu jantar com cartão de crédito”.
António Araújo… esperou Jacinto Paixão no hotel Meridien. A oferta das meninas, a quem ele pagou, “o fez por um amigo seu, o já referido Lameira”.
Uma das testemunhas prostitutas, Hannah, lembra que “Araújo disse: ‘vou levá-las a uma festa com uns amigos’”. Cada uma teria 130 euros. Outra disse 150.
(Acha a CD, maiúsculas minhas):
É DE NOTAR AQUI QUE, EM GERAL, OS ARGUIDOS NÃO COLOCARAM
EM CAUSA OS FACTOS DE NATUREZA OBJECTIVA NEM OS ACONTECIMENTOS DESCRITOS NA CUSAÇÃO; O QUE OS ARGUIDOS NEGAM SÃO OS FACTOS SUBJECTIVOS QUE A SUSTENTAM, ISTO E, O CONHECIMENTO QUE TINHAM DOS FACTOS OBJECTIVOS.
(E ainda)
IMPORTA AGORA EXPRESSAR AS RAZÕES DA NOSSA CONVIÇÃO QUE AFASTAM O ADUZIDO PELOS ARGUIDOS, UTILIZANDO A PRERROGATIVA DE APRECIAR A PROVA OBTIDA SEGUNDO AS MÁXIMAS DA EXPERIÊNCIA E AS REGRAS DA LÓGICA E DO PENSAMENTO RACIONAL, DE FORMA ARTICULADA E CONJUGADA, A FIM DE ALCANÇAR UM JUÍZO DE CERTEZA E ASSIM FORMAR UMA CONVICÇÃO SOBRE A VERDADE DOS FACTOS.
(Mais)
NO QUE RESPEITA AO CONHECIMENTO QUE PINTO DA COSTA NEGA TER TIDO DE QUE AS PROSTITUTAS TINHAM SIDO SOLICITADAS PELO JACINTO PAIXÃO, CUMPRE SALIENTAR QUE ESSA POSIÇÃO NÃO COLHE DO CONTACTO TELEFÓNICO REPRODUZIDO NOS AUTOS CONJUGADO COM A DEMAIS PROVA PRODUZIDA (sublinhado da CD da Liga, mas a escuta não revela nada além do JP que podia ser Joaquim Pinheiro, nota minha)
(E…)
IMPORTA RECUPERAR QUE NO FINAL DA CONVERSA O DIRIGENTE DO FCP-SAD COMBINOU ENCONTRAR-SE COM ANTÓNIO ARAÚJO PESSOALMENTE, O QUE EFECTIVAMENTE SUCEDEU NESSE DIA À TARDE ANTES DO JOGO. ASSIM, SE DÚVIDAS PUDESSEM TER SUBSISTIDO DURANTE O TELEFONEMA SOBRE AS PESSOAS A QUE SE REFERIAM E A QUE ACTOS RESPEITAVAM – QUE NÃO É ESSA A NOSSA CONVICÇÃO – TERIAM CERTAMENTE FICADO AFASTADAS NESSE ENCONTRO MARCADO E TIDO ALGUMAS HORAS DEPOIS, JUSTAMENTE ANTES DO JOGO
(do que se lê, nada está confirmado quanto ao encontro de PdC seja com quem for: Joaquim Pinheiro, António Araújo, muito menos árbitros e ainda menos ‘meninas’)
(A CD nota ainda o depoimento de Carolina Salgado, na PJ, a confirmar que o presidente sabia das meninas para os árbitros, etc., etc.)
(Pergunta-se a CD da Liga, maiúsculas minhas)
NÃO HAVERIA MAIS NENHUM RESTAURANTE NA CIDADE DO PORTO E ARREDORES QUE NÃO FOSSE JUSTAMENTE AQUELE QUE JANTAVA O PRESIDENTE PINTO DA COSTA? ESTE É UM QUADRO FACTUAL QUE MAIS REFORÇA A NOSSA CONVICÇÃO SOBRE A PRÁTICA DOS FACTOS TAL COMO CONSTAM DA ACUSAÇÃO.
(Sobre a idoneidade de Carolina, a CD dá a sua douta interpretação e caracterização da personagem, maiúsculas minhas)
A INIDONEIRADE DE CAROLINA SALGADO VEM DO LIVRO QUE, NO TIC DO PORTO, É TIDO PELA MERITÍSSIMA JUÍZA QUE “PODE NATURALMENTE SER INTERPRETADA COMO UMA VERDADEIRA ‘VENDETTA’ CONTRA O SEU EX-COMPANHEIRO’ (…) MESMO COLOCANDO ESSA HIPÓTESE VEROSÍMIL, O CERTO É QUE ESSES SENTIMENTOS MENOS NOBRES, OU MESMO ALTAMENTE CENSURÁVEIS, QUE PODERÃO ESTAR A NORTEAR A SUA CONDUTA, NÃO SIGNIFICA AUTOMATICAMENTE QUE A TESTEMUNHA ESTEJA A PRESTAR FALSAS DECLARAÇÕES SOBRE TÃO GRAVES ACONTECIMENTOS
(só se pode presumir a referência da ida às ‘maninas’, digo eu, basicamente esta estória reporta-se a isso, ninguém pode pedir a um amigo para um divertimento nocturno numa cidade que vai visitar e não conhece).
(Segue a dança do ventre da CD da Liga)
NÃO PODEMOS ESTAR MAIS DE ACORDO COM O QUE AÍ É DITO PELA MERETÍSSIMA JUÍZA. É EVIDENTE QUE O TESTEMUNHO DE CAROLINA SALGADO NÃO PODE SER TIDO COMO VERDADE ABSOLUTA OU INSOFISMÁVEL; NÃO PODE O JULGADOR IGNORAR AS CIRCUNSTÂNCIAS QUE ENVOLVERAM A RUPTURA DA SUA RELAÇÃO COM O ARGUIDO PINTO DA COSTA, NEM QUE A PUBLICAÇÃO DO LIVRO, DE ALGUMA FORMA, PODERÁ INDICIAR QUE SENTIMENTOS VINGATIVOS ESTARÃO PORVENTURA A NORTEAR A SUA CONDUTA. SE TAIS INDÍCIOS FOSSEM IGNORADOS ESTAR-NOS –ÍAMOS A ALHEAR DAS REGRAS DO PENSAMENTO RACIONAL E DOS DADOS DA EXPERIÊNCIA COMUM. COISA BEM DIFERENTE É DIZER QUE POR ISSO, E SÓ POR ISSO, A TESTEMUNHA NÃO GOZA DE QUALQUER CREDIBILIDADE E O SEU DEPOIMENTO DEVE SER TOTALMENTE DESCONSIDERADO
É QUE SE O FIZÉSSEMOS, SEM MAIS, ESTARÍAMOS A RECONHECER IMPLICITAMENTE QUE A TESTEMUNHA VEM PRATICANDO CRIMES ATRÁS DE CRIMES ATRAVÉS DA PRESAÇÃO DE FALSAS DECLARAÇÕES/TESTEMUNHOS PERANTE OS TRIBUNAIS – O QUE, ATÉ VER, NÃO ESTÁ PROVADO.
(pois não, espera pela demora)
(E, por fim, lá vem a “razão de ciência”, antes alegado pela Morgado, por ela ter vivido seis anos com PdC e ter estado no estádio)
(Antes da argumentação técnica-jurídica do resto (metade) do acórdão, que é só para advogados, magistrados e porventura quem tenha “razão de ciência”, a CD da Liga ainda tem este desplante)
AS PROSTITUTAS FORAM DISPONIBILIZADAS NA SEQUÊNCIA DE UM JANTAR EM QUE ESTIVERAM COM DIRIGENTES DO FC PORTO (????)